quinta-feira, 30 de abril de 2009

A NOITE DISSOLVE OS HOMENS


A noite desceu. Que noite!
Já não enxergo meus irmãos.
E nem tampouco os rumores
Que outrora me perturbavam
A noite desceu. Nas casas,
Nas ruas onde se combate,
Nos campos desfalecidos,
A noite espalhou o medo
E a total incompreensão.
A noite caiu. Tremenda,
Sem esperança... Os suspiros
Acusam a presença negra
Que paralisa os guerreiros.
E o amor não abre caminho
Na noite. A noite é mortal,
Completa, sem reticências,
A noite dissolve os homens,
Diz que é inútil sofrer,
A noite dissolve as pátrias,
Apagou os almirantes
Cintilantes nas suas fardas.
A noite anoiteceu tudo...
O mundo não tem remédio...
Os suicidas tinham razão.

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

6 comentários:

Lidianne Andrade disse...

muito legal seu poema, parabéns, viu?
abraços!

Augusto disse...

Massa esse trecho. Adorei num todo mas o final me agradou muito...

Parabéns pelo blog

www.infoxcomp.com

Fabricio bezerra da guia disse...

como eu sempre digo pra autores de blog como esses"as editoras de livros estão atrás de talentos em blogs"

desafiodeeducar disse...

Oi Diogo, bacana seu blog. Olha, seja um seguidor do blog da escola.
abração!

desafiodeeducar disse...

Ah! o endereço do blog mudou. agora é www.escolaestadualsinhasaboia.blogspot.com
visite e dê sua opinião sobre as postagens que estão lá!!!

Daniel A. S. disse...

Gostei do poema, bem legal, só achei um pouco deprê...

Um abraço!

http://daniel.a.s.zip.net